Ano Litúrgico

Pentecostes

Pentecostes

O que a Igreja celebra na solenidade de Pentecostes? A descida do Espírito Santo sobre Nossa Senhora e os Apóstolos reunidos no Cenáculo, cinquenta dias depois da Páscoa. Muitos consideram esse episódio como o nascimento da Igreja Católica.

Tríduo Pascal III – Sábado de Aleluia

Tríduo Pascal III – Sábado de Aleluia

No Sábado Santo a Igreja celebra a Ressurreição de Cristo, e realiza diversos ritos que mostram a grandeza da História da Salvação, e o amor de Deus para conosco, bem como a esperança de nossa futura ressurreição. A cerimônia começa com a Bênção do Fogo, o qual simboliza Jesus Cristo, Luz da Vida; em seguida a preparação do Círio Pascal, o qual contém vários sinais que o tornam símbolos do Salvador. Depois segue-se a Liturgia da Palavra, a Liturgia Batismal e a Liturgia Eucarística, com a qual se encerra a celebração do Tríduo Pascal.

Tríduo Pascal II – Sexta-Feira Santa

Tríduo Pascal II – Sexta-Feira Santa

Na liturgia de Sexta-Feira Santa da Paixão do Senhor é celebrada sua Morte Redentora na Cruz, ao mesmo tempo que a fundação da Igreja como instituição imortal, depositária de seus divinos e infinitos tesouros. Tal celebração é constituída pela Liturgia da Palavra onde se contempla caráter salvífico do sacrifício de Cristo, síntese do mistério Pascal; a Adoração da Cruz feita por todos os fieis; a Sagrada Comunhão, com a qual se conclui a cerimônia. Nesse dia não é celebrada a Santa Missa.

Tríduo Pascal I – Quinta-Feira Santa

Tríduo Pascal I – Quinta-Feira Santa

A celebração da Ceia do Senhor na Quinta-Feira Santa remonta aos primeiros séculos, e recebeu desde então o nome In Coena Domini. Nela se celebram três principais mistérios: a instituição da Sagrada Eucaristia, a instituição do Sacerdócio e o amor fraterno, simbolizado no “Lava pés”. A celebração tem um misto de júbilo e tristeza, pois nesse dia Jesus nos confiou o maior de todos os presentes, a Eucaristia, mas também nesse dia um de seus discípulos o traiu de forma ignominiosa, vendendo-O por trinta moedas.

Quaresma: a preparação para a Páscoa

Quaresma: a preparação para a Páscoa

A Quaresma é um tempo penitencial de preparação para a Páscoa. Nela a Igreja incentiva os fieis a uma mudança de vida, uma verdadeira conversão. Seu início se dá na Quarta-Feira de Cinzas e culmina no Tríduo Pascal. Sua composição passou por inúmeras alterações ao longo dos séculos, e atualmente é celebrada como foi estabelecido no Concílio Vaticano II.

O Ciclo Pascal: a data da Páscoa

O Ciclo Pascal: a data da Páscoa

Desde o início do cristianismo a Páscoa foi a principal festa litúrgica, pois nela se celebra ao mesmo tempo a morte de Jesus e sua gloriosa Ressureição. A data na qual ela deve ser celebrada passou por mutações ao longo dos tempos, e atualmente celebra-se no primeiro domingo depois da lua cheia do equinócio vernal.

Domingo, cerne da vida litúrgica da Igreja Católica

Domingo, cerne da vida litúrgica da Igreja Católica

Dies Dominicus, dia do Senhor, o domingo é o cerne da vida litúrgica da Igreja Católica, no qual se celebra a Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Essa celebração remonta ao próprio dia da Ressurreição, como afirma o Concílio Vaticano II através da Sacrosanctum Concilium, n. 106. Ao povo judeu, o Senhor determinou que deveria guardar o sábado e consagrá-lo a Ele. Esse costume foi observado até a vinda do Messias, e até posteriormente pelos primeiros discípulos, os quais provinham do judaísmo e trouxeram consigo muitos dos costumes judaicos. Porém, aos poucos o domingo começou a tomar destaque pelo fato da Ressurreição de Cristo ter ocorrido nesse dia.

O que é o Ano Litúrgico?

O que é o Ano Litúrgico?

O Ano Litúrgico é o modo que a Igreja Católica encontrou de santificar o tempo. Ele não é a mera representação ou comemoração da vida de Jesus Cristo, mas um como que reacontecer, uma atualização, de cada episódio. Nele é celebrada a Obra da Salvação do Divino Redentor. Ele é constituído por um ciclo que se repete a cada ano, assim como o ciclo das estações do ano. Esse ciclo é constituído por dois grandes blocos: o Ciclo do Natal e o Ciclo da Páscoa.