O que é o pecado?
Adão e Eva sendo expulsos do Paraíso Terrestre (Gravura de Gustavo Doré)

O que é o pecado?

O significado de pecado está cada vez mais confuso. Em nossos dias ele atinge dois extremos: o rigorismo exagerado e o relativismo absoluto. Mas o que de fato diz a Igreja Católica sobre isso? Nada mais nem menos aquilo que Ela sempre sustentou: o pecado é “uma palavra, um ato ou um desejo contrários à Lei Eterna”. (CIC 1849) Nos dizeres do Doutor Angélico, o pecado é uma “aversão a Deus e uma conversão às criaturas.”

Mas na prática o que isso quer dizer? Como saber se algo é ou não pecado? O que é essa Lei Eterna? Quem pode julgar se pecamos a não ser Deus?

Vamos começar por entender o que é a Lei Eterna. Deus é o ser perfeito, eterno, infinito e absoluto, basta-Se a Si mesmo, tem todo poder e sabedoria. Ele quis, por bondade e não por necessidade, criar todas as coisas que sabemos que existem. Mas assim como um artista deixa sua obra de arte caracterizada com os reflexos de sua personalidade, assim também o Criador não podia deixar de imprimir na criação seus reflexos. Ora, em cada uma delas esse reflexo existe em grau diferente, não há igualdade nas criaturas, cada uma tem particularidades que nenhuma outra tem igual. Deus não é gago e não faria sentido duas criaturas inteiramente iguais, para refletir um mesmo aspecto de seu Autor.

Nessa multidão de criaturas, algumas foram criadas “à sua imagem e semelhança”. (Cf. Gn 1, 26) São os homens. Dotado de inteligência e vontade, o homem possui uma característica peculiar que o torna capaz de mérito ou merecedor de castigo: o livre arbítrio. Por isso, o Criador imprimiu em sua alma a consciência do bem e do mal. Mais ainda, colocou em seu coração uma lei, a qual é reflexo da ordem que existe n’Ele mesmo: os dez mandamentos. Esses mandamentos fazem parte de nós, mas pela decadência da humanidade, Deus precisou promulgá-los, o que fez de modo solene no Sinai quando entregou a Moisés as tábuas da Lei. Mas, insistimos, nesse momento Deus apenas promulgou uma lei que já estava impressa na alma humana. É que se entende por Lei Eterna.

Vivendo de acordo com essa Lei os homens fazem a vontade de Deus e cumprem sua finalidade. Desobedecendo ofendem a Deus e cometem pecado.

O pecado é o maior mal que existe, pois contraria a ordem que existem em Deus, que é o Bem em essência. Mas ele tem graus, uns são mais graves que os outros. Quais são os tipos de pecados?

  1. O pecado original, que leva esse nome por ter sido a origem de todo desregramento da humanidade. Ele foi cometido por Adão e Eva no Paraíso, e custou-lhes o exílio a esse vale de lágrimas. É transmitido, sem culpa nossa ou de nossos pais, no momento da concepção, e sofremos seus efeitos: perda da justiça original (graça santificante) e dos dons preternaturais (integridade, impassibilidade, imortalidade).
  2. O pecado mortal, ou grave, que assim é chamado por matar a vida divina na alma em estado de graça. Para que um pecado seja mortal é necessário unir três condições: matéria grave, pleno conhecimento e pleno consentimento. Sem algum desses três pontos não há pecado grave, ou mortal. Esse pecado priva-nos da caridade e conduz ao inferno se não houver uma contrição perfeita ou a confissão sacramental.
  3. O pecado venial, ou leve, que difere do mortal por não ter um dos três requisitos acima mencionados. Mas que em nada é insignificante, pois ofende a majestade de um Ser infinito. Segundo São Tomás de Aquino, um só pecado venial seria suficiente para tornar o pecador réu de morte.
  4. Existem ainda os pecados capitais, que recebem esse nome por serem cabeça de outros pecados. São eles: soberba, avareza, luxúria, ira, preguiça, inveja e gula.

* soberba é a estima exagerada de si mesmo;

* avareza é o desejo desregrado pelo dinheiro e bens materiais em geral;

* luxúria é o apetite exagerado do prazer sexual;

* ira é o ódio desordenado contra alguém ou algo;

* preguiça é a falta de força de vontade para cumprir os próprios deveres;

* inveja é a tristeza pelo bem do próximo ou a alegria pela desgraça alheia;

* gula é o comer ou beber desmedidamente, sem fome, a ponto de prejudicar a própria saúde.

  1. Existe ainda um pecado que é pouco comentado, e que não tem perdão: o pecado contra o Espírito Santo. No que consiste? Consiste em fechar-se definitivamente para a graça de Deus. Ele pode se manifestar de várias formas, principalmente: desespero da salvação eterna, presunção da salvação eterna sem necessidade de mérito, negar a verdade conhecida com tal, obstinação no erro e impenitência final.

Mas porque esse pecado não tem perdão? Deus não é misericordioso? Ele é a Misericórdia e está sempre disposto a perdoar. Não teria se encarnado e morrido na Cruz se não tivesse disposição de nos perdoar sempre. E esse pecado só não tem perdão porque o próprio pecador se recusa a reconhecer seu pecado e pedir perdão dele. Deus nos espera sempre de braços abertos, tal como o pai do filho pródigo o esperava. (Cf. Lc 15, 11ss) Depende de nós querermos receber sua misericórdia.

Deixe seu Comentário