Porque devo rezar? O que é a oração?

Porque devo rezar? O que é a oração?

Em nossos dias, as facilidades para escrever são enormes. No computador podemos escrever a apagar quantas vezes for preciso, sem gastar papel. E imprimir está ao alcance de qualquer um. Talvez seja-nos difícil imaginar um escritor que tenha como regra não errar sequer uma palavra ao redigir um texto. Porém, houve uma época em que isso era assim: o tempo em que os Evangelistas escreveram a vida de Jesus, os Santos Evangelhos. Cada palavra devia ser precisa, as descrições tão sucintas quanto possível, sem desperdiçar qualquer espaço no pergaminho. Podemos calcular como cada palavra devia ser planejada, como o texto devia ser impecável.

Claro que não lhes foi possível registrar cada palavra do Salvador, tiveram que escolher as mais importantes, aquelas indispensáveis para que o conteúdo da Revelação estivesse completo. Que árduo trabalho… Mas não lhes faltou a inspiração do Espírito Santo.

Levando isso em consideração, podemos concluir que cada conselho de Nosso Senhor Jesus Cristo, cada ensinamento, cada preceito, é de um valor extremo, diríamos até que é indispensável à nossa salvação. Do contrário, não o teriam deixado por escrito.

Um desses ensinamentos, o Divino Mestre transmitiu aos Apóstolos num dos momentos de maior aflição, a agonia no Horto. Se cada palavra tem tamanha importância, que dizer daquelas proferidas num momento tão solene, no qual Jesus conversa com o Pai sobre sua Paixão, em que até transpira sangue? Pois bem, foi nessa ocasião, vendo que os três discípulos que Ele escolhera para presenciar um momento tão sublime dormiram, que palavras de vida eternaram emanaram de seus lábios sagrados para nosso benefício: “Vigiai e orai, para não cairdes em tentação” (Mt 26, 41).

Muitas vezes o Divino Mestre ensinava através de parábolas, de modo enigmático. Nessa ocasião, entretanto, quis deixar absolutamente explícito, de maneira que ninguém pudesse ter dúvida. Não é um conselho ou uma sugestão, é uma ordem que Ele nos dá. Vigiai e orai, no imperativo.

Mas Jesus não ficou no mero conselho, Ele deu o exemplo para ser seguido. Em diversas ocasiões o próprio Deus feito homem rezou ao Pai. No momento de escolher os homens que propagariam a Fé por todo mundo “Jesus foi para o monte fazer oração e passou a noite a orar a Deus. Quando nasceu o dia, convocou os discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu o nome de Apóstolo.” (Lc 6, 12-13) Também por ocasião da Transfiguração, “levando consigo Pedro, João e Tiago, Jesus subiu ao monte para orar.” (Lc 9, 28)

Mas nenhuma foi tão pungente quanto a oração no Horto: “[Jesus] saiu então e foi, como de costume, para o Monte das Oliveiras. E os discípulos seguiram também com Ele. Quando chegou ao local, disse-lhes: ‘Orai, para que não entreis em tentação.’ Depois afastou-se deles, à distância de um tiro de pedra, aproximadamente; e, pondo-se de joelhos, começou a orar, dizendo: ‘Pai, se quiseres, afasta de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, mas a tua’.” (Lc 22, 39-45)

Notemos que o texto é claro ao dizer “como de costume”. Ou seja, Jesus repetidas vezes ia ao monte para estar com o Pai e rezar.

Como se isso não fosse suficiente, Nosso Senhor Jesus Cristo ensinou para nós, através dos Apóstolos, a oração perfeita. “E aconteceu que, estando Ele a orar num certo lugar, quando acabou, lhe disse um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos. E Ele lhes disse: Quando orardes, dizei: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu. Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano; E perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a qualquer que nos deve, e não nos conduzas à tentação, mas livra-nos do mal.” (Lc 11, 1-4)

E através de uma parábola lhes explicou que aquele que pede com perseverança sempre é atendido. E finalizou dizendo: “Em verdade vos digo, pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á; porque qualquer um que pede recebe; e quem busca acha; e a quem bate abrir-se-lhe-á.” (Lc 11, 9-10) O pedido insistente é condição essencial para que nossa oração seja atendida.

Não cabe dúvida de que a oração é necessária. Mas o que é propriamente oração?

Segundo São Tomás de Aquino a oração nada mais é que “a elevação da mente a Deus”. E o glorioso Santo Agostinho a define como a “afetuosa expansão do espírito para Deus”.

Santo Afonso Maria de Ligório, em seu famoso livro “A Oração, Grande Meio de Salvação”[1], explica que a oração é para a alma o que o alimento é para o corpo. Quem não come acaba morrendo por desnutrição; o mesmo acontece com a alma, que precisa da Graça de Deus para viver, mas que não emprega o meio que Ele deixou para obter seu alimento.

Baseado em outros santos, santo Afonso ainda afirma que a oração é uma poderosa arma, que nos defende das insídias diabólicas e obtém tudo quanto precisamos. Ele cita, por exemplo, um belo pensamento de Santo Agostinho: “Adão pecou porque não rezou.” E ainda outro de São Gelásio falando dos anjos rebeldes: “Receberam em vão a Graça Divina… e porque não rezaram, caíram.”

Contudo, o grande santo tem uma declaração ainda mais vigorosa e atemorizante: “Quem reza se salva, quem não reza se condena.” E ainda diz que todos aqueles que estão no céu chegaram lá porque rezaram; e os que se perderam foi porque deixaram de fazê-lo. E finaliza dizendo que o maior tormento no inferno será saber que a salvação estava ao seu alcance, e a perderam porque não quiseram rezar.

Enfim, poderíamos escrever um tratado sobre a oração, mas não vem ao caso. Para encerrar, colocaremos apenas algumas frases dos santos sobre a oração:

“Deus se irrita contra nós quando deixamos de rezar.” (São João Crisóstomo)

“O cristão rezará em todo lugar, no passeio, na conversa, nas refeições, na leitura, em toda obra razoável, de toda maneira.” (São Clemente de Alexandria)

“Vive bem quem reza bem.” (Santo Agostinho)

“Cada um é obrigado a rezar, por que deve procurar os bens espirituais, que só por Deus são concedidos e que só podemos alcança-los por meio da oração.” (Santo Tomás de Aquino)

“A oração é uma arma, que devemos manter sempre pronta para podermos nos defender nos momentos de perigo.” (São João Bosco)

“Quem não puder dedicar longo tempo a oração deve, pelo menos, elevar muitas vezes o seu coração a Deus.” (São Felipe Neri)

“Sem oração não há vitória.” (Santo Afonso de Ligório)

“Da oração depende a nossa mudança de vida, o vencer das tentações; dela depende conseguirmos o amor de Deus, a perfeição, a perseverança e a salvação eterna.” (Santo Afonso de Ligório)

“Quem foge da oração, foge de tudo o que é bom.” (São João da Cruz)

“Para mim, a oração é um impulso do coração, é um simples olhar lançado em direção ao céu, é um grito de reconhecimento e de amor no meio da provação como também em meio à alegria; é enfim, algo de grande, de sobrenatural, que me dilata a alma e me une a Jesus.” (Santa Teresinha)

“O homem mais poderoso é o que reza, porque se faz participante do poder de Deus.” (São João Crisóstomo)

Como vemos, a oração é uma chave de ouro que abra as portas do Céu. E ela está em nossas mãos… Saibamos utilizá-la.

 

[1] Recomendamos vivamente que todos leiam esse livro, tão simples e tão magnífico.

Deixe seu Comentário